SOCIEDADE

    A vacinação em massa não é pela saúde e sim pelo controle


    A maioria das pessoas não consegue mais pensar por si mesma. Estão terceirizando isso para que políticos e jornalistas pensem por elas. Para estas pessoas que gostam de colocar “eu acredito na ciência” na sua foto de perfil eu digo: não, você não acredita na ciência, você acredita na televisão.

    A vacinação em massa não é pela saúde e sim pelo controleJá reparou que a televisão brasileira só fala em vacinação e mortes por covid 24 horas por dia? E isso tem um propósito claro: espalhar o medo e forçar as pessoas a se injetarem com medicamento experimental cuja finalidade pode ser qualquer outra menos a de proteger você de uma doença.

    Eu não sou cientista, nem jornalista e nem político. Apenas observo o que está acontecendo no mundo e tiro as minhas conclusões. E este é o ponto! As pessoas perderam o senso crítico e apenas repetem o que a imprensa ou seu político preferido falam.

    O que vejo são jornalistas, políticos e juízes decidindo que medicamento você deve ou não tomar, tirando a autonomia dos profissionais que deveriam decidir isso: os médicos. Se você julga que isso está correto, cancele o seu plano de saúde e vá se consultar com um jornalista ou com o seu político favorito. Vai sair até mais barato. Mas tenha em mente que estes não irão se responsabilizar se o medicamento que fizeram você tomar vai te deixar com sequelas ou te matar.

    As vacinas estão mesmo imunizando as pessoas?

    Se você se mantém informado pela televisão ou pelos grandes portais de notícias, você vai acreditar que sim. Todos estão falando a mesma coisa diariamente, como uma verdadeira lavagem cerebral. Além disso, dizem que mesmo após vacinadas, as pessoas ainda devem usar máscara, usar álcool em gel e fazer distanciamento social.

    Só que temos agora um elemento a mais e que está dificultando ainda mais o acesso à informação que contradiz a grande mídia: a censura das Big Techs.

    Google, Facebook, Twitter e afins estão decidindo o que você pode ou não ter acesso. Quando médicos e cientistas que possuem opinião contrária à narrativa deles, são imediatamente cancelados e chamados de mentirosos ou teóricos da conspiração. As big techs promovem um verdadeiro assassinato de reputações.

    Dito isso, voltemos à pergunta: as vacinas estão mesmo imunizando as pessoas? A resposta é NÃO!

    Recentemente o virologista francês e ganhador do Prêmio Nobel Luc Montagnier classificou a vacinação em massa contra o coronavírus durante a pandemia de "impensável" e um erro histórico que está "criando as variantes" e levando à morte pela doença.

    “É um erro enorme, não é? Um erro científico e também um erro médico. É um erro inaceitável”, disse Montagnier em uma entrevista traduzida e publicada pela RAIR Foundation USA  ontem. “Os livros de história mostrarão isso, porque é a vacinação que está criando as variantes”.

    Muitos epidemiologistas sabem disso e estão “calados” sobre o problema conhecido como “aumento dependente de anticorpos”, disse Montagnier.

    “São os anticorpos produzidos pelo vírus que permitem que uma infecção se torne mais forte”, disse ele em entrevista a Pierre Barnérias da Hold-Up Media no início deste mês.

    Você pode conferir o que disse o Dr. Montagnier aqui.

    O vídeo a seguir mostra um aumento no número de mortes em diversos países após o início da vacinação.

     

    Este vídeo usa dados do Institute for Health Metrics and Evaluation da Universidade de Washington para ilustrar os picos de mortes em vários países em todo o mundo após a introdução da vacinação COVID, confirmando a observação de Montagnier.

    O entrevistador francês apontou dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) que mostram que, desde que as vacinas foram introduzidas em janeiro, a contaminação por novas infecções “explodiu”, junto com as mortes, “principalmente entre os jovens”.

    O Dr. Montagnier praticamente reforçou o que já tinha dito o Dr. Geert Vanden Bossche sobre os riscos de uma vacinação em massa. Você pode assistir a entrevista do Dr. Bossche aqui.

    Vou deixar abaixo a entrevista do Dr Sucharit Bhakdi. Mas aviso: se você já foi vacinado, não recomendo assistir.

    Quem é o Dr. Sucharit Bhakdi

    É um microbiologista tailandês-alemão aposentado. Estudou medicina na Universidade de Bonna de 1963 a 1970, período durante o qual (de 1966 a 1970) foi bolsista do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico. Em fevereiro de 1971 ele recebeu seu doutorado em medicina. De 1972 a 1978, ele estudou no Instituto Max Planck de imunobiologia em Freiburg com bolsas da Sociedade Max Planck no Instituto Max Planck de Imunobiologia em Freiburg e na Fundação Alexander Von Humboldt.

    Antes de sua aposentadoria, Bhakdi produziu trabalhos científicos em áreas como bacteriologia e aterosclerose. Publicou vários artigos científicos nessas áreas.

    Desde 2016, é professor visitante na Universidade de Kiel. Foi Editor-chefe da revista médica Microbiologia Médica e Imunologia, de 1990 a 2012.
    Escreveu uma carta aberta à chanceler alemã Dra. Angela Merkel sobre as "consequências socioeconômicas das drásticas medidas de contenção que são aplicadas atualmente em grandes partes da Europa".

    Publicou dois livros sobre o coronavírus, com sua esposa, Karina Reiss, bióloga e bioquímica do Centro de Pesquisa Quincke.
    Assumiu posições contrárias á narrativa oficial, por isso o seu canal do YouTube foi fechado.

    Sites de notícias menores tem divulgado reportagens sobre pessoas vacinadas que pegaram covid

    Um número crescente de publicações de pessoas que, mesmo vacinadas, contraíram covid, tiveram sintomas graves e até faleceram estão surgindo em diversos sites no Brasil e no mundo. 

    Geralmente estes sites são de mídias locais. Estes casos não estão sendo muito divulgados nos grande portais de notícias ou na televisão. 

    Técnica de enfermagem já vacinada morre

    Gestante perde bebê após tomar vacina

    Asilos no RS registram surto de covid depois da vacinação

    Cresce número de casos de covid entre idosos vacinados

    Mesmo vacinato, ex-prefeito morre de covid

    Morre bebê que nasceu após mãe ter sido vacinada

    Em quase todos estes casos, mesmo em sites mais modestos, é perceptível o malabarismo na redação para tentar explicar que os casos não estão ligados às vacinas.

    Brasil segue modelo de outros países e pretende criar um “apartheid” das vacinas

    O Senado Federal pretende aprovar a criação do passaporte nacional de imunização.

    A proposta é “que o documento seja utilizado para autorizar a entrada de pessoas vacinadas em locais e eventos públicos e para a utilização de meios de transporte coletivos”. A autoria do projeto é senador Carlos Portinho.

    "O documento seria implementado por meio de uma plataforma digital, operada pela União em coordenação com entes federativos e com os serviços privados de saúde credenciados".

    Se pessoas já vacinadas:

    • Estão adoecendo por causa co covid e até mesmo morrendo por causa desta doença;
    • Precisam continuar usando máscara e fazendo distanciamento social;
    • Podem transmitir o vírus.

    Então, qual o sentido de continuarem insistindo na vacinação como sendo a solução para acabar com a pandemia? Qual o sentido de criarem passaportes de vacinação? Você já parou para pensar nisso?

    Começo a perceber que aqueles que estão no poder estão dividindo a sociedade em vacinados e não vacinados. Os não vacinados serão discriminados e colocados à margem da sociedade.

    A proposta do senador quer proibir o acesso dos não vacinados a “locais públicos”. Perceba o quanto este termo é abrangente. Sendo a rua um local público, quem não se vacinar terá que ficar confinado à sua casa?

    Até onde isso vai? Os não vacinados não poderão mais viajar para a cidade vizinha? Não poderão mais ir para outro bairro na própria cidade? Chegará o dia em que serão expulsos de suas casas por não terem mais o direito de viver na cidade? Serão confinadas em campos de concentração como ocorreu na Alemanha nazista?

    A “pandemia” e as “vacinas” são apenas uma parte de um plano maior que está em andamento. Este plano irá mudar o mundo como nós o conhecemos. E já está mudando.

    Para compreender o que está acontecendo é necessário estudar e pesquisar a fundo as pessoas e organizações que detém o poder no mundo. Estão trabalhando para criar uma sociedade onde liberdade e individualidade não existirão mais.

    Parafraseando o personagem Morpheus no filme Matrix, a sociedade de um futuro que já bate à porta, viverá em um cativeiro, presa em uma cela que não poderá sentir, ver ou tocar. Uma prisão para a sua mente.

     

    O Administrador

    LEIA TAMBÉM

    PUBLICIDADE

    Para conquistar um mundo de covardes e pessoas que não gostam de pensar, basta remover a resistência.
    Siga Atividade Oculta no Instagram face icon siga Atividade Oculta na rede social Bom Perfil rumble icon

    Contato
    © Atividade Oculta

    Pesquisar