Sociedade

Lockdown, quarentena forçada e renda básica são caminhos que levarão à redução da população e a criação de uma sociedade escravizada


Lockdown, quarentena forçada e renda básica são caminhos que levarão à redução da população e a criação de uma sociedade escravizadaO índice de desemprego no Brasil subiu para 12,9% no último trimestre. A notícia foi publicada no dia 30/06/2020 e está sendo divulgada nos principais sites da grande mídia. Pessoalmente acredito que este número pode ser bem maior (não confio nada em órgãos do governo), mas não há como sabermos de fato.

O trecho abaixo vem da matéria publicada no site do Correio Brasiliense:

 

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 12,9% no trimestre encerrado em maio, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta terça-feira, 30, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

A turma do “#fiqueemcasa“, que aceita de boas todas as medidas restritivas impostas pelo governo (federal, estaduais e municipais), ainda acredita que tudo isso vai passar e que tudo voltará ao normal em breve. Lamento dizer que estão enganados.

Estas pessoas que ainda mantém este discurso, certamente possuem uma boa reserva financeira ou são funcionários públicos que contam o seu dinheiro depositado na sua conta todos os meses. Não sou contra estas pessoas e acho bom que elas possuam reservas ou um bom salário todos os meses. Mas será que esse conforto vai durar muito tempo? O governo paga suas contas por meio da arrecadação de impostos que é extremamente alta no Brasil. A matemática é simples: com a destruição da economia, a arrecadação vai diminuir drasticamente e a tendência é de não haver recursos suficientes para pagar as despesas, incluindo aposentadorias e a folha de pagamento dos funcionários públicos.

O discurso do “falido se recupera” que leio muito nas redes sociais logo cairá por terra. A devastação da atual estrutura econômica do Brasil e do mundo trará muito mais mortes do que o vírus. Aquelas pessoas que não morrerem por causa do vírus que veio da China morrerão pela fome e pela violência que tomarão as grandes cidades.

Trancar as pessoas em casa e impedi-las de trabalhar não funciona. O próprio governador de Nova York já disse isso em maio, como mostra a matéria do site do jornal O Sul:

 

“ Segundo o governador do Estado americano mais atingido pela epidemia de coronavírus, 84% das pessoas que estão hoje hospitalizadas com Covid-19 estavam cumprindo as medidas de confinamento. Vamos repetir, porque você está achando que leu errado: apenas 16% dos pacientes de coronavírus internados hoje na rede hospitalar de Nova York não estavam na quarentena horizontal. Andrew Cuomo, que é adepto fervoroso do ‘fique em casa‘, e opositor de Donald Trump, informou com todas as letras, estar ‘chocado‘ (nas palavras dele mesmo), que a imensa maioria dos doentes de Covid-19 estava em casa. ”

 

Esta pandemia planejada onde governos estão impondo uma quarentena forçada e criando leis para impedir as pessoas de trabalhar e até mesmo tirando o direito de ir e vir faz parte de uma agenda de uma elite mundial que quer modelar o mundo de acordo com a sua vontade.

 

Renda básica: uma porta para o controle absoluto do Estado

Já começamos a ver em várias partes do mundo instituições e a própria mídia falando em uma renda básica universal, o que colocará toda a população debaixo do guarda-chuva do governo.

É claro que a mídia, que é uma ferramenta de engenharia social a serviço da elite mundial sai logo na defesa da idéia, como nesta postagem no site da revista Época da Globo:

 

“ A agenda pode desconstruir as estruturas da desigualdade brasileira e, a partir dos princípios de cidadania e justiça social, de unir a todos sem distinção. ”

 

Soa bonito, mas vale lembrar que, com toda certeza, para que as pessoas recebam estas migalhas do governo, terão que dar a sua liberdade individual em troca. Com a economia sendo devastada por causa de leis que estão impedindo as pessoas de trabalhar, muitos irão se sujeitar a qualquer exigência do governo para conseguir ter acesso a uma renda básica. As exigências serão muitas como vacinação obrigatória e utilização de aplicativos de rastreamento em seus celulares e, quem sabe, em um futuro próximo até implantes em seus corpos.

Todo está indo de encontro à agenda 2030 da ONU e ao “grande reset” no mundo promovido pela elite do Fórum Econômico Mundial.

 

Édson de Oliveira

Para conquistar um mundo de covardes e pessoas que não gostam de pensar, basta remover a resistência.

Sobre  |  Siga no Facebook  |   Contato
© Atividade Oculta

Pesquisar