Sociedade

A hipocrisia da afiliada da Rede Globo


A hipocrisia da afiliada da Rede GloboPara quem é de outra região do Brasil, talvez não conheça o grupo RBS. A RBS é uma afiliada da Rede Globo e atua na região sul do Brasil.

Acompanho suas postagens nas mídias sociais, assim como faço com outras mídias convencionais e bem conhecidas. Não se aproveita quase nada do que publicam, pois o grau de manipulação é muito alto. A previsão do tempo parece ser uma das poucas informações úteis.

A grande mídia é, em sua essência, uma ferramenta de engenharia social, mas se você aprender a ler nas entrelinhas, pode ter uma ideia do que está para acontecer.

Porém, diversos assuntos são claramente politizados. E, em se tratando de uma afiliada da Rede Globo, não é surpresa nenhuma. É notório a adversidade da emissora para com o Governo Federal. Isso resulta em desinformação ou meias verdades passadas à população. Afinal, os órgãos de imprensa deveriam ser honestos e mostrar os vários aspectos de um determinado assunto, principalmente quando existem inúmeras opiniões contrárias. Neste caso, estou me referindo ao uso da cloroquina.

A cloroquina vem dividindo opiniões entre médicos e especialistas, mas o grupo RBS parece ter escolhido um lado, ignorando completamente o outro.

 

A hipocrisia da afiliada da Rede Globo* A GaúchaZH é uma rádio do grupo RBS.

 

E se um funcionário do grupo RBS pegasse a doença?

E foi o que aconteceu. E não foi um funcionário qualquer. Esta breve notícia do dia 18 de março, cujo link está aqui, foi publicada no site da Revista Época.

 

dono rbs coronavirus

 

Será que o dono da RBS se curou da doença? A resposta para esta pergunta é SIM! Nelson Sirotky aparentemente está curado.

 

E qual teria sido o seu tratamento?

A notícia abaixo vem do UOL:

Nelson Sirotsky curado com cloroquinna

 

O trecho abaixo vem do site Pleno News:

 

Diagnosticado com o novo coronavírus, o empresário Nelson Sirotsky, que vem a ser dono do Grupo RBS, que controla a afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul, teve alta do hospital. Aos 67 anos, Nelson fez um tratamento combinando cloroquina e azitromicina, uma medida defendida pelo presidente Jair Bolsonaro e que tem gerado controvérsia entre alguns especialistas.

 

Ah, mas ele deve ter tido muita sorte não é? Afinal, ter sido curado com medicamentos não aprovados pela OMS e criticado pela sua própria instituição...

E o interessante é que após pesquisa no Google, não consegui encontrar nenhuma notícia nas mídias do grupo RBS ao tratamento do seu patrão.

Aparentemente, parece que a lição não surtiu efeito, pois o pessoal do grupo continua a publicar apenas opiniões contrárias ao uso da cloroquina.

Não sou médico e não tenho base científica para dizer que o medicamento A ou B é eficiente no tratamento do Covid-19, mas há médicos e especialistas que defendem o uso da cloroquina. Sua utilização se mostrou eficaz, como mostrado neste post. As pessoas precisam se informar e, no caso de estarem com a doença, decidirem com o seu médico o melhor tratamento.

A saúde não pode ser politizada.

 

Édson de Oliveira

Para conquistar um mundo de covardes e pessoas que não gostam de pensar, basta remover a resistência.

Sobre  |  Siga no Facebook  |   Contato
© Atividade Oculta