Saúde

Lockdown e quarentena no Reino Unido já podem ter matado mais idosos do que o Covid-19


Lockdown e quarentena no Reino Unido já podem ter matado mais idosos do que o Covid-19Um novo artigo publicado no British Medical Journal sugeriu que as medidas de quarentena no Reino Unido como resultado do novo coronavírus já podem ter matado mais idosos do que o coronavírus durante o pico da pandemia.

O lockdown foi realmente a coisa certa a fazer? Por que tantos médicos e cientistas que disseram que não seria a coisa certa a fazer foram completamente censurados e banidos pelas plataformas de mídias sociais?

Um novo relatório publicado no British Medical Journal intitulado Covid-19: “Número impressionante” de mortes extras na comunidade não é explicado pelo covid-19 ″ sugeriu que as medidas de quarentena no Reino Unido por causa do novo coronavírus já podem ter matado mais idosos do que o próprio vírus nos meses de abril e maio. Segundo os dados, o Covid-19 representa apenas 10.000 das 30.000 mortes em excesso que foram registradas em instalações de atendimento a idosos durante o auge da pandemia. O artigo sugere e também cita as autoridades britânicas de saúde afirmando que essas mortes inexplicáveis podem ter ocorrido porque as medidas de quarentena impediram que os idosos acessassem os cuidados de saúde de que precisavam.

O relatório foi escrito por Shaun Griffin, PhD em reparo de DNA pela UCL. Ele trabalhou em comunicações e assuntos públicos por 20 anos no Wellcome, UK Biobank, Human Tissue Authority e Nuffield Council on Bioethics Council. Atualmente, ele está na Association of Medical Research Charities e é vice-presidente de um comitê de ética em pesquisa.

De acordo com ele,

 

David Spiegelhalter, presidente do Centro Winton de Comunicação de Riscos e Evidências da Universidade de Cambridge, disse que a covid-19 não explica o alto número de mortes que ocorrem na comunidade. Em um briefing promovido pelo Science Media Center em 12 de maio, ele explicou que, nas últimas cinco semanas, asilos e outros locais da comunidade tiveram que lidar com um “fardo impressionante” de 30.000 mortes a mais do que seria normalmente esperado, porque os pacientes foram retirados de hospitais que estavam antecipando alta demanda por camas.

 

Desses 30.000, apenas 10.000 tiveram o covid-19 especificado na certidão de óbito. Enquanto Spiegelhalter reconheceu que algumas dessas “mortes em excesso” podem ser o resultado de um subdiagnóstico, “o grande número de mortes extras inexplicáveis em residências e casas de repouso é extraordinário. Quando olhamos para trás. . . esse aumento de mortes extras não cobiçadas fora do hospital é algo que, espero, receba uma atenção realmente especial. ”

 

 Ele acrescentou que muitas dessas mortes estariam entre pessoas “que poderiam muito bem ter vivido mais se conseguissem chegar ao hospital.

 

David Leon, professor de epidemiologia na Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, concordou. "Algumas dessas mortes podem não ter ocorrido se as pessoas chegassem ao hospital", disse ele. Essa questão precisa de atenção urgente, e as medidas tomadas para garantir que aqueles que se beneficiariam do tratamento hospitalar possam obtê-la. ”

O relatório também menciona que na Escócia, na primeira semana após o lockdown, houve um aumento nas mortes por todas outras causas.

 

Referência: Collective Evolution
Tradução: Édson de Oliveira

 

Para conquistar um mundo de covardes e pessoas que não gostam de pensar, basta remover a resistência.

Sobre  |  Siga no Facebook  |   Contato
© Atividade Oculta

Pesquisar