Saúde

40% dos óbitos decorrentes de outras enfermidades são registrados como covid-19 em hospital da Bahia


40% dos óbitos decorrentes de outras enfermidades são registrados como covid-19 em hospital da BahiaA mídia tradicional seguidamente vem apontando irregularidades na compra de equipamentos sem licitação em quase todos os estados do Brasil. Manter a "epidemia" em alta parece ser um bom negócio, principalmente em um país como o Brasil que tem a corrupção no seu DNA.

Recentemente foi feita uma postagem aqui, questionando se o Brasil realmente passa por uma epidemia. E agora, o UOL publica uma matéria em seu portal com declarações do infectologista Roberto Badaró, diretor do maior centro de referência em tratamento do Covid-19 no estado da Bahia, o Hospital Espanhol.

 

40% dos óbitos registrados no Hospital Espanhol como covid-19 são decorrentes de outras enfermidades

As declarações do Dr. Roberto foram ditas em uma entrevista na rádio Metrópole FM ontem (dia 11/06/2020) e destacadas na matéria do UOL:

 

"Eu vou dar um exemplo simples: no Hospital Espanhol, 40% dos pacientes que eu recebo não têm covid. E morrem. E no atestado de óbito tá lá: covid. Porque tem três campos no atestado de óbito. Ele vem com suspeita de covid, então entra na estatística. É preciso que se veja isso com bastante critério"

 

Se isso também está ocorrendo em hopitais de todo o Brasil, torna-se clara a intenção de inflar os números de mortes pelo coronavírus.

A matéria segue dizendo que logo após as declarações do Dr. Roberto, a Secretaria da Saúde da Bahia publicou uma nota em seu site com uma retratação do diretor do hospital dizendo que suas afirmações "não correspondiam à realidade". O Dr. Roberto poderia ter sido coagido à vir à público e mudar suas declarações? Isso não é de se duvidar.

 

Famílias pedem que seus doentes sejam diagnosticados com Covid-19

Esta é uma outra informação que foi dita pelo diretor do hospital Espanhol na entrevista na rádio.

Ele disse que o diagnóstico para coronavírus tem sido usado como alternativa por alguns familiares de pacientes de outras enfermidades, para encontrar vagas em UTI:

 

O infectologista chegou a citar o exemplo de uma mulher diabética cujo índice glicêmico era superior a 1.000, mas que a família apelou a ele por uma vaga na UTI do Espanhol porque a irmã dela teria contraído coronavírus. "Ela estava com cetoacidose diabética, ela aí fez uma falência respiratória e entubou. Isso é covid? Não é. Mas para poder ter acesso a uma UTI, bota lá covid e vai pro hospital"

 

Em um país sério, isso seria prontamente investigado, não só no hospital da Bahia, mas nos hospitais de todo o Brasil.

Enquanto a economia vai sendo destruída à passos largos, políticos se utilizam de todos os meios possíveis para tirarem vantagem. Para esta casta de pessoas (políticos), o dinheiro sempre foi mais importante do que o bem estar das pessoas.

 

Referência: UOL

Édson de Oliveira

 

Para conquistar um mundo de covardes e pessoas que não gostam de pensar, basta remover a resistência.

Sobre  |  Siga no Facebook  |   Contato
© Atividade Oculta

Pesquisar