Ciência e Tecnologia

Google e Facebook estão sufocando a internet e manipulando você


Google e Facebook estão sufocando a internet e manipulando vocêComo fundador e CTO de uma empresa de tecnologia, você dificilmente espera que David Heinemeier Hansson seja um dos maiores críticos do Vale do Silício. Mas o co-fundador da Basecamp e criador da popular estrutura de aplicativos da web Ruby on Rails está longe de ser um típico executivo do Vale do Silício.

Nas mídias sociais, Hansson envia tweets regularmente sobre como desmembrar o Google e responsabilizar a Tesla pelas falhas do piloto automático. A empresa que ele fundou é uma das poucas que deixou de ter presença no Facebook. Ações como essas ganharam mais de 400.000 seguidores no Twitter.

Agora, Hansson está mais uma vez mirando nas maiores empresas do Vale do Silício. Ele afirma que seu quase monopólio está sufocando a internet, afirmando: "Um punhado de empresas colonizou a web e elas a estão sufocando".

Mais do que apenas apontar essas questões, Hansson realmente tentou fazer algo a respeito. Em 2018, ele e o co-fundador e CEO da Basecamp, Jason Fried, começaram o que se tornaria a Hey. O serviço de e-mail pago, de US $ 99 por ano, lançado em 15 de junho e foi projetado para proteger os usuários dos tipos de vigilância invasiva que se tornaram a norma. 

 

De inovação à uma verdadeira cruzada

Na maioria das vezes, Hansson estava satisfeito com a criação da Basecamp, o negócio de software de gerenciamento de projetos que ele havia fundado com Fried. As coisas começaram a mudar após as eleições de 2016, quando veio à tona a quantidade de informações privadas que o Facebook conseguiu compartilhar com empresas de consultoria política sem o consentimento dos usuários.

Em entrevista à Fast Company, Hansson disse que aquele momento era a "caixa de Pandora" e revelava "a maneira como a indústria realmente funcionava".

Depois disso, Hansson começou a pesquisar mais sobre a tecnologia de publicidade on-line e ficou horrorizado com o que encontrou. Em dezembro de 2018, ele estava enojado o suficiente com uma série de anúncios direcionados que sua própria empresa exibia no Facebook e anunciou que a Basecamp estava se tornando um negócio "livre de Facebook" - sem anúncios no Facebook, sem presença no site de mídia social.

Este foi apenas o começo. A cruzada de Hansson contra algumas das maiores empresas do Vale do Silício continuaria a crescer. Em janeiro passado, Hansson testemunhou perante o Congresso em uma audiência sobre o poder de mercado das plataformas online ao lado de outros líderes da indústria de tecnologia.

"No começo, eu era um pouco cínico, para ser sincero, que ia aparecer e fazer meu pequeno discurso", disse Hansson. "Quando você está muito no Twitter, pensa que todo mundo está prestando atenção nas mesmas coisas que você sabe. Então você entra no mundo real. Parecia que estávamos entregando novas informações ao Congresso. ”

Segundo Hansson, sua experiência no Congresso deu a ele um novo senso de propósito. Desde então, ele começou a advogar uma legislação mais rigorosa para "quebrar os monopólios" e "dar aos consumidores melhores alternativas". Este último se tornou um refrão pessoal, com ele refletindo que qualquer advocacia precisa “apresentar alternativas convincentes”.

 

Inspirar outras pessoas a criar alternativas aos líderes atuais

Para Hansson e o cofundador Fried, a questão agora é se a Hey oferece uma alternativa atraente o suficiente para justificar seu preço de US $ 99 por ano. Os dois esperam que as pessoas estejam dispostas a pagar por algumas mudanças radicais na experiência de e-mail. Isso inclui a triagem automática de e-mails para filtrar o lixo publicitário e também remover as ferramentas de rastreamento encontradas nos próprios e-mails.

Segundo Hansson, as mudanças na Hey estão sendo feitas por causa de como empresas como o Google estão controlando os feeds de seus serviços de e-mail.

“O e-mail está sendo transformado no feed de notícias do [Facebook]. É uma caixa de entrada editorial que pessoas assim como o Google criaram para você ", diz ele.

No início deste ano, um relatório do The Markup expôs o fato de o Google estar marcando alguns e-mails políticos como spam, dando a outros espaço privilegiado na caixa de entrada.

"É o mesmo poder que o Facebook ocupa; é sua prerrogativa moral usá-lo. Não acho que isso seja bom ", afirmou Hansson. "Eu acho que é completamente distópico."

Até agora, os esforços de Hansson e Fried parecem estar trabalhando com a Hey, com mais de 40.000 pessoas em sua lista de espera antes do lançamento.

No entanto, Hansson também reconhece que isso, e mesmo os 200.000 usuários que eles desejam, é apenas "uma gota no balde". O objetivo real para ele é criar agitação e impulso suficientes para pressionar os atuais líderes do mercado em e-mail e tecnologia em geral. A esperança é quea  Hey levará à criação de produtos similares fora do Vale do Silício.

"Não podemos confiar nas pessoas que criaram os problemas para resolvê-los", afirmou. "Temos que procurar soluções fora do Vale do Silício."

 

Referência: Natural News
Tradução: Édson de Oliveira

 

Para conquistar um mundo de covardes e pessoas que não gostam de pensar, basta remover a resistência.

Sobre  |  Siga no Facebook  |   Contato
© Atividade Oculta

Pesquisar