Ciência e Tecnologia

E se a próxima onda não for um vírus biológico?


A próxima onda será um cyber attack?Estamos em meio a uma quarentena forçada. Governos de vários países do mundo decretaram o fechamento da maioria das atividades comerciais e industriais, colocando o mundo rumo a o que pode se tornar a maior depressão da história da humanidade.

O fechamento de empresas levou muitas pessoas para o único meio possível de trabalhar e conseguir ganhar algum dinheiro: a Internet.

Muitas empresas reduziram o quadro de funcionários e o desemprego vem crescendo a cada dia. Por outro lado, algumas pessoas que ainda mantém seu emprego foram realocadas para trabalhar em casa na modalidade home office.

Pequenas e médias empresas ainda lutam para não se afogar no mar de destruição da economia. A internet foi a saída possível para conseguir respirar e tentar sobreviver. O mundo, à duras penas, vem tentando se adaptar a uma nova relalidade.

 

E se ocorrer um apagão na Internet?

Imagine acordar pela manhã para trabalhar em casa, no lugar onde instalou o seu home office e descobre que não tem acesso à internet. Tenta pela rede de dados do seu celular e também não consegue. Acaba descobrindo que os seus vizinhos de apartamento estão com o mesmo problema.

Você tenta ligar para o seu provedor de internet e o telefone não funciona. Espera algumas horas para ver se volta ao normal e nada.

Imagine a queda de todo o sistema de comunicação bancário e de operadoras de cartão de crédito. Não é possível comprar nada no supermercado e nem mesmo sacar dinheiro nos bancos. O caos estaria instaurado na sua cidade. Mas... e se não fosse apenas na cidade, mas no mundo todo?

Chame de previsão, de suposição ou mesmo de intenção. Mas um artigo falando sobre a possibilidade um apagão da internet causado por um “ataque global cibernético” foi publicado em um Artigo no site do Fórum Econômico Mundial no dia 01 de junho deste ano.

 

Fórum Econômico Mundial anuncia cyberataque

 

O trecho abaixo está em um dos itens relacionados logo no começo do artigo:

 

“ Deveríamos nos preparar para uma pandemia cibernética global semelhante ao COVID, que se espalhará mais rápido e além do que um vírus biológico, com um impacto econômico igual ou superior. “

 

Muitos já sabem que a pandemia do Covid foi simulada meses antes no Evento 201 (ou evento 21 como alguns se referem).

Seria esta uma “previsão” de um ataque que derrubaria a internet no mundo todo? Seria esse o “Grande Reset” da recente campanha do Fórum Econômico Mundial?

Em outro trecho, o artigo sugere que o Covid-19 não é a única condição que pode interromper rápida e exponencialmente a forma como vivemos e que:

 

“... uma pandemia cibernética é provavelmente tão inevitável quanto uma pandemia de doença futura.

... é importante examinar as lições da pandemia do COVID-19 - e usá-las para se preparar para um futuro ataque cibernético global. Um ataque cibernético com características semelhantes ao coronavírus se espalharia mais rápido e além do que qualquer vírus biológico. “

 

O artigo também faz referências a vírus de computadores que se espalharam rapidamente:

 

“ O ataque do WannaCry de 2017 explorou uma vulnerabilidade nos sistemas Windows mais antigos para paralisar mais de 200.000 computadores em 150 países. “

 

Somos hoje completamente dependentes da tecnologia. Com certeza o impacto de um ataque cibernético a nível mundial seria muito pior do que o coronavírus.

O artigo já sugeriu até mesmo um nome: cyber-COVID:

 

“ Se o cyber-COVID refletisse a patologia do novo coronavírus, 30% dos sistemas infectados seriam assintomáticos e espalhariam o vírus, enquanto metade continuaria funcionando com desempenho severamente degradado - o equivalente digital de ficar na cama por uma semana. Enquanto isso, 15% seriam "limpos" com perda total de dados, exigindo uma reinstalação completa do sistema. Finalmente, 5% seriam "emparelhados" - tornando o próprio dispositivo inoperante. “

 

Imagine as pessoas perderem todas as suas informações pessoais e financeiras. Tudo estaria perdido ou nas mãos dos causadores desta catástrofe.

A previsão deles é de que em um único dia sem a Internet custaria ao mundo mais de US$ 50 bilhões. Um bloqueio cibernético global de 21 dias pode custar mais de US$ 1 trilhão.

Porque especificaram “21 dias”. Seria alguma referência ao ano de 2021?

Eles finalizam dizendo que milhões de dispositivos seriam colocados offline em questão de dias.

 

“ A única maneira de interromper a propagação exponencial do cyber-COVID seria desconectar completamente todos os dispositivos vulneráveis um do outro e a Internet para evitar infecções. O mundo inteiro poderia experimentar o bloqueio cibernético até que uma vacina digital fosse desenvolvida. Todas as comunicações comerciais e transferências de dados seriam bloqueadas. O contato social seria reduzido a pessoas contatadas por visitas pessoais, telefone fixo de cobre, correio tradicional ou rádio de ondas curtas. “

 

Esse “ataque cybernético”, se ocorrer, deixará o mundo sem Internet por um período considerável. Muitas pessoas e empresas perderão seu dinheiro e investimentos.

Provavelmente esta será a desculpa usada para implementar o “Grande Reset”, já que o mundo se encontra mergulhado no caos econômico.

É hora de salvar nossos documentos e fotos (de preferência impressos) e de anotar nossos contatos em um bloco ou agenda de papel. Se isso acontecer, será uma catástrofe enorme, talvez a maior que já presenciamos no mundo.

Precisamos ficar atentos.

 

Édson de Oliveira.

Para conquistar um mundo de covardes e pessoas que não gostam de pensar, basta remover a resistência.

Sobre  |  Siga no Facebook  |   Contato
© Atividade Oculta

Pesquisar